Tomorrow

Elise Steenburgh - Brazil


March 4, 2018

Olá, elise!
Você se juntou à IRIS+ contra Degradação ambiental.

Quais são os amanhãs possíveis? O tema que mais te preocupa diz respeito ao planeta e aos desafios sobre como viver de forma harmônica com seus recursos. A Terra passa por intensas transformações do clima e da biodiversidade, e será preciso adaptar os hábitos a este cenário.

A partir disso gostaria de sugerir algumas iniciativas que reúnem pessoas que querem agir de maneira parecida com você…

Hello, elise!
You have joined IRIS+ against Environmental Degradation.

DSC_2477.jpg

What are the possible tomorrows? The theme that most concerns you is in respect to the planet and the challenges of how to live harmoniously with your resources. The Earth is undergoing intense transformations of climate and biodiversity, and it will be necessary to adapt habits to this scenario. 

From this, I would like to suggest some initiatives that bring together people who want to act in a similar way as you…

DSC_2486.jpgMinha visita ao Museu do Amanhã foi uma das minhas partes favoritas do Rio de Janeiro.Que nerd, eu sei. Neste museu de ciências e sociologia, eu aprendi muito sobre os Cosmos, a Terra, o Antropoceno, as Amanhãs, e Nós. A exposição foi incrível! Havia tanta informação sobre a história do universo e da vida, e também os problemas enfrentados pela humanidade, tipo injustiças sociais e degradação ambiental.

My visit to the Museum of Tomorrow was one of my favorite parts of Rio de Janeiro. What a nerd, I know. In this science and sociology museum, I learned a lot about the Cosmos, the Earth, the Anthropocene, the Tomorrows, and Us. The exhibit was amazing! There was so much information about the history of the universe and life, as well as the problems faced by humanity, such as social injustices and environmental degradation.

DSC_2439.jpgNo caminho através da exposição, a gente interagiu com IRIS+, uma inteligência artificial. O uso da technologia no Museu se tornou muito futurista. Em vez de ler placas, pudemos aprender sobre tópicos que escolhemos nas telas sensíveis em torno do Museu. A IRIS+ registrou meus interesses pelo seguindo quais tópicos eu escolhava. No final da minha visita ao Museu, ela mandou o email citado em cima.

On our way through it, we interacted with IRIS+, an artificial intelligence. The use of technology in the Museum made it feel very futuristic. Instead of reading off plaques, we could learn about topics we chose on touch screens around the Museum. IRIS + registered my interests by following which topics I chose. At the end of my visit to the Museum, it sent the email quoted above. 

DSC_2464.jpgEu não precisava de um museu para me dizer que a problema mais importante do mundo (pra mim) é nossa relação com o ambiente.Agora mesmo, estou trabalhando numa ONG de conservação das vidas selvagens. Estou planejando cursar ciências ambientais na faculdade. No entanto, não pretendia me concentrar nas seções ambientais no Museu. Eu tentei aprender sobre tudo o que pude sem tendência.

I did not need a museum to tell me that the most important problem in the world (for me) is our relationship with the environment. Right now, I am working in a wildlife conservation NGO. I am planning on studying environmental sciences in college. However, I did not intend to focus on the environmental sections of the Museum. I tried to learn about everything I could without bias. 

Então eu senti orgulho de receber esse email que confirmou minha tendência natural e o alignhamento do meu senso de propósito com o que o mundo vê eu farei. Eu não estou me enganando. A direção da minha vida está vindo do meu coração, mesmo. Não é uma força externa (meus pais, professores, amigos, nem a sociedade) que está me dizendo quem se tornar, ou para o qual devo dedicar a minha vida. Eu sempre tinha medo de estar no caminho errado, mas finalmente estou certa.

So I was proud to receive this email that confirmed my natural tendency and the alignment of my sense of purpose with what the world sees me doing. I’m not fooling myself. My life’s direction is really coming from my heart. There’s not some external force (my parents, teachers, friends, or society) telling me who to become, or to what I must dedicate my life. I had always been scared of being on the wrong path, but finally I’m right. 

“Quem somos?” Who are we?

“Onde estamos?” Where are we?

“Para onde vamos?” Where are we going?

Estas eram as questões colocadas pelo Museu do Amanhã na exposição. Não apenas relacionadas ao nosso futuro, nosso Amanhã, eu achava que as questões eram bem alinhado com o GCY.

These were the questions posed by the Museum of Tomorrow throughout the exhibition. Not only related to our future, our Tomorrow,  I felt that these questions aligned well with GCY. 

Somos a geração realizando nosso verdadeiro impato no mundo, agora e no futuro. Nesse ano de folga da escola, estamos descobrindo nossas paixões e identidades. Estamos em países estrangeiros, aprendendo relacionar com pessoas de culturas e origens diferentes. As habilidades que ganhamos nos ajudarão para o resto de nossas vidas, não importa o que escolhemos fazer. Não consigo falar pelo resto do coorte, mas já descobri as minhas respostas.

DSC_2468.jpg

We are the generation realizing our real impact in the world, now and in the future. In this year off from school, we are discovering our passions and identities. We are in foreign countries, learning to relate with people of different cultures and backgrounds. The skills we gain will help us for the rest of our lives, no matter what we choose to do. I cannot speak for the rest of the cohort, but I have already figured out my answers.

Eu sou Elise. Hoje, estou no Brasil. Amanhã, eu vou mudar o mundo.

I am Elise. Today, I am in Brasil. Tomorrow, I am going to change the world.

Love and Peace,

Elise

 

Elise Steenburgh